A administração de um condomínio não é uma tarefa fácil. O síndico é a pessoa responsável por toda a propriedade e responde civil e criminalmente em caso de incidentes. Por ser uma tarefa exigente e de tamanha responsabilidade, torna-se difícil encontrar uma pessoa apta a exercer esta função. Alguns cuidados devem ser observados tanto na eleição de um síndico morador como na contratação de um síndico profissional.

Aos poucos os condomínios estão percebendo a necessidade de profissionalizar a administração. Fica aqui o alerta: na eleição de um síndico morador ou na contratação de um sindico profissional deve-se tomar muito cuidado com pessoas sem perfil para assumir o cargo. Não basta apenas ter boas intenções alguns condôminos se candidatam ao cargo de síndico e muitos se intitulam síndicos profissionais, mas se não tiver perfil e experiência podem prejudicar o condomínio. É importante que antes de eleger ou contratar um sindico, façam uma pesquisa  para saber se o candidato não tenha nenhuma restrição, peguem referências em pelo menos três condomínios em que ele atua ou atuou, analise o histórico e a satisfação de outros clientes.

Algumas vantagens do sindico profissional: conhecimento dos direitos e deveres do condomínio, domínio das leis, controle de finanças e custos, seguro responsabilidade civil e criminal em caso de fraude, danos e roubos e o principal a imparcialidade na mediação de conflitos entre os condôminos.

Procure saber a formação do candidato. O ideal é que ele seja graduado em Administração de Empresas, Recursos Humanos, contabilidade ou Direito, além da sua formação acadêmica outras características são fundamentais como: domínios de liderança e organização. Imparcialidade em suas decisões, ter muita paciência com os moradores, facilidade de comunicação, ser um bom negociador e mediador de conflitos.

O sucesso de uma administração está baseado em alguns pilares: dispor de um planejamento de contas (acompanhar inclusive sua realização); ter uma gestão transparente e participativa (evitando surpresas desagradáveis na administração do condomínio); seguir e fazer cumprir o regimento interno, a convenção e as determinações de Assembleia.